Notícias | Cidades
22.04.2013 - 20h14 | Assessoria
Primeiras-damas Léa Toscano e Pâmela Bório visitam AMECC e Talita em Guarabira‏
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+

A primeira-dama do município de Guarabira, Léa Toscano, aproveitando a visita do governador Ricardo Coutinho à ‘rainha’ do Brejo paraibano, na última sexta-feira (19/04) – convidou a primeira-dama do Estado, Pâmela Bório para conhecer a Associação Menores Com Cristo (AMECC) e a Associação Abrigo Comunidade Talita.

Elas, primeiramente estiveram na AMECC, que se localiza no sítio Padre Ibiapina, onde foram recebidas pelos coordenadores locais, monitores e crianças. O novo diretor-presidente Sebastian, nem o padre Geraldo Brandstetter não se encontravam no momento. Pâmela ao lado de Léa visitou todas as salas de aula da Creche São Rafael, onde recebeu o carinho da meninada. A Prefeitura de Guarabira é um dos principais parceiros desta entidade. A primeira-dama do estado fará um relatório de tudo que viu e repassará ao seu esposo, o governador RC.

Em seguida Léa e Pâmela se dirigiram até o sitio Lajes, onde visitaram a Comunidade Talita, entidade ligada a cuidar de meninas em situação de risco. Monsenhor Luigi Pescarmona, presidente da entidade, junto com as meninas, moradoras do abrigo -, recepcionou as primeiras-damas. Elas foram convidadas pelo monsenhor para conhecer todas as dependências do local. Pâmela assinou um oficio de parte da entidade que solicita do Governo do Estado, o total de seis computadores para que a inclusão digital faça parte do cotidiano daquelas meninas.

A primeira-dama do estado se mostrou encantada com a visita a ambas as entidades e agradeceu a Léa Toscano pela oportunidade, que lhe concedeu.

De acordo com a primeira-dama e deputada Léa, a ideia de trazer Pâmela a estas duas entidades foi para que ela visse de perto o que há de positivo, bem como as dificuldades para as mesmas se manterem no dia a dia, que sobrevivem em sua maioria de doações.

 
 
Comentários

   
Notícias Relacionadas

Em nota, Cagepa esclarece razões da falta de água em Guarabira, Araçagi e Pilõezinhos
A Cagepa, por meio de sua assessoria, emitiu nota à imprensa esclarecendo os motivos que tem levado a faltar água por esses dias nas cidades abastecidas pelo manancial de Araçagi. Moradores do bairro do Nordeste, que residem nas partes mais elevadas, fizeram um protesto hoje e foi preciso acionar os bombeiros para debelar as chamas provocadas por queima de material no meio da rua. A Companhia disse que o sistema adutor deve voltar a funcionar até a manhã desta sexta-feira (22). Nota de esclarecimento A Cagepa – Gerência Regional do Brejo – esclarece que a falta de água que tem afetado os municípios de Guarabira, Araçagi e Pilõezinhos nos últimos dias foi proveniente de problemas com falta de energia na Estação de Tratamento de Água seguido de rompimento de graves proporções na adutora que abastece o sistema integrado. No sábado (16), a Energia fez trabalhos de deslocamento de postes em Araçagi e provocou problemas na rede elétrica que abastece a ETA, problema que foi solucionado dentro do prazo e o sistema foi colocado em operação no domingo (17). Na segunda-feira (18), na área do registro geral da rede arriou a gaveta, na saída da caixa, e provocou falta de água em todo o sistema. Tão logo ocorreu o incidente na ETA de Araçagi, foi colocado em operação. Como a água tratada no antigo sistema é insuficiente para atender aos usuários, as pessoas que residem nas partes mais elevadas, que é o caso dos moradores do bairro do Nordeste, acabaram ficando prejudicadas. A Companhia tem executado manobras para reforçar as áreas mais altas, entretanto, como o consumo está muito alto, os esforços não têm atingido ao que os técnicos esperam. Como foi necessário arrebentar a gaveta para os devidos reparos na ETA de Araçagi, foi usado concretagem e se aguarda o tempo devido de cura para acionar o sistema, o que deve ocorrer até a manhã desta sexta-feira (22). O sistema adutor de Araçagi, inaugurado pelo governador Ricardo Coutinho ano passado, atende sim a demanda dos municípios e quem mora em Guarabira, Araçagi e Pilõezinhos pode atestar isso. Não fosse a água canalizada da barragem de Araçagi fatalmente já teríamos entrado ou na iminência de entrar em colapso.
   
   
©2010- 2015 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo