Acompanhe nossas redes sociais
e fique bem informado
Notícias | Mundo
30.05.2018 - 10h40 | Eldení Alves
Atirador deixa mortos no leste da Bélgica
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+

Um atirador matou dois policiais e um pedestre na cidade belga de Liège nesta terça-feira (29). O agressor foi abatido por forças especiais de segurança depois de ter tomado uma mulher como refém, informaram veículos de imprensa da Bélgica e a agência de notícias Belga.

Outros dois policiais ficaram feridos. "Há dois policiais mortos e dois outros feridos", disse Catherine Collignon, porta-voz do Ministério Público de Liège.

Os tiros foram ouvidos no centro de Liège, cidade no leste da Bélgica, próxima à fronteira com a Alemanha, por volta das 10h30 (05h30 no horário de Brasília). O homem armado disparou contra dois policiais antes de fugir para uma escola local e fazer uma faxineira como refém.

O diário La Libre Belgique citou uma fonte policial que afirmou que o atirador gritou "Allahu Akbar" (Deus é grande, em árabe) e a emissora belga RTBF relatou que investigadores acreditam que o atirador pode ter tido motivação terrorista.

Vídeos postados no Twitter mostram pessoas correndo no bulevar central de d'Avroy, além do som de tiros e sirenes dos carros policiais.

Os motivos do ataque não são conhecidos, mas o centro nacional de crise antiterrorista, chefiado pelo ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, comunicou via Twitter que está monitorando a situação e que terrorismo não pode ser excluído como motivo, embora outras razões pelo ataque também estejam sendo averiguadas.

"Terrorismo é uma das questões em discussão, mas no momento todos os cenários estão em aberto", disse um porta-voz do centro de crise.

Liège, uma cidade industrial no leste da Bélgica, próximo da fronteira com a Alemanha, foi palco de um tiroteio em 2011, quando um atirador matou quatro pessoas e feriu mais de 100 pessoas antes de cometer suicídio.

A polícia belga e as Forças Armadas estão em alerta desde que uma célula da organização jihadista "Estado Islâmico" (EI), com sede na Bélgica, esteve envolvida nos ataques de Paris de 2015, que resultaram na morte de 130 pessoas, e no ataque suicida que deixou 32 mortos no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metrô da capital belga em 2016.

 

 

Fonte: DW

 
 
Comentários
   
   
   
©2010- 2018 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo