Acompanhe nossas redes sociais
e fique bem informado
Notícias | Ciências e Saúde
26.12.2017 - 09h31 | Eldení Alves
Médica dá dicas de saúde para evitar os excessos nas festas de fim de ano
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+
Com as festas e confraternizações de fim de ano muita gente corre o risco de exagerar nos comes e bebes. Não existe uma fórmula mágica para evitar os excessos desse período festivo, mas algumas dicas são válidas para ajudar a passar pelas festas de uma forma menos prejudicial e caso o cidadão realmente precise recorrer a algum serviço de saúde a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) possui uma rede preparada para atender a quem procura por atendimento.
 
De acordo com a médica da Unidade de Saúde da Família (USF) Distrito Mecânico II e especialista em Saúde da Família, Ana Cândida D. de Queiroga, no caso da ingestão de bebida alcoólica, manter-se hidratado é fundamental. “Temos que ter consciência dos nossos desejos. Prudência e moderação nas nossas ações é a melhor forma de prevenção. Beber água regularmente intercalando com a ingestão de bebidas alcoólicas já ajuda na prevenção da desidratação, que é a principal causa da ressaca. Também é interessante comer antes de beber e beliscar alguma coisa enquanto bebe, pois retarda a difusão do álcool pelo corpo”, explicou.
 
A médica Ana Cândida ainda alerta sobre o que fazer no caso de passar mal com o excesso no consumo de álcool. “A ressaca sempre se associa à intoxicação aguda de álcool e inicia-se cerca de 6 a 8 horas após o consumo (período em que a concentração de álcool no sangue diminui e retorna a zero, em média) e pode durar até 24 h. Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, tonturas, náuseas, tremores, falta de apetite. Se o consumo excessivo de bebida alcóolica trouxer prejuízos mais comprometedores é importante procurar ajuda médica, sendo assim, procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) é uma atitude válida”.
 
Já no caso das comidas, os problemas mais comuns são intoxicação alimentar. Algumas atitudes simples na hora de manusear o alimento podem ajudar a prevenir a intoxicação alimentar:
 
- Lave bem as mãos, os utensílios e as superfícies com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos;
- Mantenha os alimentos crus separados de alimentos prontos para o consumo, isso impede a contaminação cruzada;
- Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura;
- Refrigerar ou congelar alimentos perecíveis até duas horas após comprá-los;
- Descongele os alimentos com segurança. A maneira mais segura para descongelar alimentos é na geladeira. - - Manter água fria corrente sobre a comida também descongela com segurança;
- Embale adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira ou no freezer;
- Evite comer carne crua ou mal passada;
- Mergulhe verduras e hortaliças que serão ingeridas cruas numa solução de água com vinagre.
 
Os principais sintomas incluem vômitos, náuseas e diarreia. Caso o paciente sofra com os sintomas de intoxicação, é importante repousar, se hidratar e procurar orientação médica.
 
Onde buscar atendimento – Em casos de intoxicação alimentar ou alcóolica, principalmente em casos mais graves, devemos procurar os serviços nas UPA’s, o Ortotrauma é um serviço de referência em João Pessoa quando se trata de intoxicação aguda ao álcool. Na rede municipal de saúde o cidadão ainda pode contar com o serviço do SAMU que poderá ser acionado em casos de engasgo ou intoxicação e em casos mais leves ou menos graves, esse atendimento é ofertado na rede de Atenção Básica através das Unidades de Saúde da Família (USF’s) distribuídas nos bairros da capital.
 
 
 
Parlamento PB
 
 
Comentários
   
   
   
©2010- 2018 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo