Acompanhe nossas redes sociais
e fique bem informado
Notícias | Política
13.07.2017 - 08h41 | Wscom
PMDB vai punir e até expulsar deputado que votar contra Temer
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+

A bancada do PMDB na Câmara dos Deputados 'fechou questão' para votar a favor do presidente Michel Temer na denúncia por corrupção passiva que tramita na Casa. Com isso, segundo o tesoureiro do partido na Paraíba, Antônio de Souza, o estatudo do partido prevê que o parlamentar que votar contra em matérias de interesse do partido está sujeito a punição, que vai desde a advertência, a suspensão, até a expulsão, com perda do mandato, por infidelidade partidária. 

A decisão da bancada federal aconteceu durante almoço realizado nessa terça-feira (11), na residência do vice-presidente da Câmara, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG). 

A proposta de fechar questão sobre o tema foi feita pelo líder da bancada, deputado Baleia Rossi (SP). Após a decisão, o presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), convocou para esta quarta (12), pela manhã, uma reunião da Executiva Nacional do partido para avalizar essa decisão.

Em contato, na manhã de hoje, com o deputado Veneziano Vital do Rêgo, ele disse que votaria pelo prosseguimento da denúncia. 

O relator da denúncia contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara é do PMDB, o deputado Sergio Zveiter (RJ), que deu parecer pela admissibilidade do pedido da Procuradoria Geral da República (PGR).  

Antônio de Souza explicou que como o PMDB fechou questão sobre o assunto, todos deverão votar conforme a orientação partidária, e aquele que não votar será submetido ao Conselho de Ética. Como se trata de uma votação na Câmara, qualquer processo que houver corre na esfera nacional do partido.   

A decisão é um modo do partido tentar ampliar a adesão de deputados à defesa do presidente durante a votação em plenário. A bancada do PMDB na Câmara conta com 63 deputados. 

Para que o Supremo Tribunal Federal (STF) seja autorizado a abrir uma ação penal contra o presidente da República é necessário o voto de 342 dos 513 deputados.

Pelo Twitter, o senador Romero Jucá afirmou que o partido definiu punições contra os peemedebistas que não seguirem a recomendação. "Quem não cumprir a decisão será enquadrado pelo Conselho de Ética do partido e sofrerá punições", disse Jucá. Segundo Jucá, o líder do partido na Câmara, Baleia Rossi, "tem a prerrogativa de suspender as funções partidárias por 90 dias".

 
 
Comentários
   
   
   
©2010- 2017 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo