Acompanhe nossas redes sociais
e fique bem informado
Notícias | Mundo
07.06.2017 - 08h03 | G1
Homens armados atacam parlamento e mausoléu no Irã; Estado Islâmico reivindica as ações
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+

Homens armados fizeram dois ataques simultâneos em Teerã, capital do Irã, na manhã desta quarta-feira (7). No Parlamento iraniano, sete pessoas foram mortas e quatro foram mantidas reféns, segundo a agência iraniana Tasnim. Várias pessoas também ficaram feridas outras no Mausoléu do Aiatolá Khomeini. O Estado Islâmico reivindicou as ações.

Informações preliminares dão conta de que cerca de quatro homens armados com rifles Kalashnikov invadiram o prédio por volta das 10h no horário local (3h, no horário de Brasília), quando era realizada uma sessão. Os terroristas dispararam contra os seguranças.

Quatro pessoas foram mantidas reféns nos andares mais altos do edifício. A mídia iraniana informou que os terroristas foram mortos, encerrado a ação.

O ministro do interior iraniano, Mohammad Hossein Zolfaghari, afirmou que um dos terroristas foi morto pelos seguranças e outro morreu após detonar seu colete explosivo. Ainda segundo o ministro, eles estavam com roupas femininas e usaram a entrada principal para ter acesso ao prédio.

Porém, o número de vítimas ainda é desencontrado. A agência Tasnim relata que sete pessoas morreram na ação e várias ficaram feridas. Citando a agência de notícias Irna, a Associated Press afirma que 30 pessoas ficaram feridas nos dois ataques.

Já no mausoléu do Aiatolá Khomeini, a cerca de 25 km ao sul de Teerã, um atirador disparou contra várias pessoas, segundo informações da rede de televisão "Irin" e da agência de notícias "Fars".

Há feridos, mas o número não foi informado. Também há suspeita de que um homem-bomba teria explodido no local.

De acordo com a Globonews, o governo iraniano informou que um terceiro grupo planejava fazer um outro ataque, mas foram contidos pelas forças de segurança locais. Não informações sobre o local que eles atacariam ou quantas pessoas foram detidas.

 

Locais simbólicos

 

Essa é a primeira vez o Estado Islâmico, que é um grupo sunita, reivindica um ataque no Irã, que é um país de maioria xiita, de acordo com a Associated Press. O grupo extremista está em guerra com as forças apoiadas pelo Irã na Síria e no Iraque.

As ações acontecem menos de um mês depois da reeleição do presidente Hassan Rouhani, um moderado.

A escolha dos locais de ataque é bastante simbólica, na análise da rede americana CNN. O parlamento do Irã, também chamado de Assembleia Consultiva Islâmica, tem 290 membros - entre eles estão representantes de minorias religiosas, como cristãos e judeus.

Já o ataque ao mausoléu visava o túmulo de Aiatolá Khomeini, fundador da república fundamentalista islâmica. Em 1979, Khomeini voltou ao Irã, após 15 anos de exílio, e liderou a revolução que derrubou o regime pró-ocidente do xá Reza Pahlevi.

 

 
 
Comentários
   
   
   
©2010- 2017 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo