Acompanhe nossas redes sociais
e fique bem informado
Notícias | Mundo
16.02.2017 - 09h14 | gi
Detentos que grelham seus rivais, jantares macabros e curiosidades mórbidas:
 
  • Tamanho do texto: A-
  •  
  • A+

Alguns crimes chocam mais pela loucura, outros pela brutalidade. Já os delitos que envolvem canibalismo são uma junção dos dois fatores. Por mais que pareçam uma realidade distante, ainda são reportados casos em que os criminosos optam por comer suas vítimas. E isso não é exclusividade deste ou daquele país: há menções desde o Brasil até a Inglaterra. 

Veja alguns dos casos mais recentes de canibalismo e onde aconteceram.

Brasil

No auge da crise carcerária, detentos da prisão de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, divulgaram um vídeo de pedaços de carne em uma fogueira. Apesar de os presidiários alegarem estar fazendo “churrasco de PCC”, não se sabe se a carne usada no vídeo era animal ou realmente humana. Também não se sabe se eles, de fato, comeram o “churrasco”.

Alemanha

Em dezembro de 2016, o ex-policial Detlev Guenzel foi declarado culpado por assassinar e comer um empresário. Em seu "calabouço particular", ele teria passado cinco horas cortando o corpo da vítima em pedaços. O pênis e um dos testículos do cadáver nunca foram encontrados, mas outras partes foram achadas em um canteiro de flores no jardim do assassino.

Segundo as informações divulgadas, o crime teria sido encomendado pela própria vítima: isso porque o empresário morto tinha obsessão por tortura e bondage, nutrindo a fantasia sombria de ser morto e devorado. Após um ano na busca de alguém para satisfazer seu desejo, ele teria encontrado Guenzel em um fórum de canibalismo pela internet.

Rússia

Em outubro do ano passado, foram presos dois homens que estupraram e depois comeram uma mulher de 31 anos, em uma sauna. O crime aconteceu em 2014, quando convidaram a vítima para "o passeio" e se revezaram para transar com ela.

Sem entender o que estava acontecendo, a mulher ameaçou denunciar os dois por estupro. Com medo, eles bateram nela e a prenderam em um depósito subterrâneo na casa de um dos criminosos. A princípio, ela teria permanecido quieta, mas depois de algum tempo começou a gritar por ajuda. 

Para silenciá-la e impedir que fugisse, os homens a mataram com uma facada no pescoço. Em seguida, cortaram o corpo em pedaços e cozinharam sua carne. A refeição macabra foi servida para seus amigos em uma festa.

Estados Unidos

O universitário Austin Harrouff foi acusado de matar um casal e depois comer o rosto do homem em agosto de 2016, na Flórida. As duas vítimas estavam sentadas em sua garagem, quando Harrouff os atacou com uma faca e uma tesoura.

Assim que as autoridades chegaram ao local, o garoto teria dito “me ajudem, eu comi alguma coisa ruim” antes de confessar ter arrancado pedaços do rosto de sua vítima. Em seguida, ele cuspiu um pedaço de carne humana, pedindo para que os policiais o matasse, já que mereceria a morte.

Também nos Estados Unidos, um caso mais antigo, de 2012, chocou Miami, quando o canibal precisou levar tiros para parar de comer o rosto de outro homem. Como resultado do ataque, a vítima sobrevivente ficou com apenas um olho e múltiplos ferimentos na face.

Inglaterra

Depois de perder seu dedo em um acidente de moto, um homem pediu aos médicos que guardassem o pedaço amputado para que ele levasse para casa. Mas, ele desossou seu próprio membro, cozinhou e comeu para saciar sua curiosidade quanto ao sabor da carne humana. Como lembrança, guardou os ossos.

Uganda

Em julgamento por crimes de guerra, um ex-soldado mirim do exército Kony é acusado de mandar suas tropas matarem e depois comerem cidadãos. Mais recentemente, em novembro de 2017, quatro homens foram acusados de canibalismo por cozinhar uma cabeça humana.

 

 
 
Comentários
   
   
   
©2010- 2017 . Portal Independente. Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Paula Araújo